Talvez eu morra...


Talvez eu morra num dia assim,
branco e chuvoso,
diante de uma imensa janela
onde eu possa ver o infinito.
Talvez eu morra assim sozinha,
nem feliz, nem infeliz,
apenas com a melancolia
dos meus olhos solitários
e dos meus dias vazios.
Talvez eu morra sem dor,
fechando em meus olhos
a angústia da solidão,
calando em minha boca
as palavras não ditas...
...e as lágrimas da minha inutilidade
molhando meu rosto frio.
Minha mão se ergueria no nada,
espaço vazio.
Não terei em quem tocar.
Não preciso me despedir.
Talvez eu morra assim,
sem saudades,
sem tristeza.
Só.



...volta ao Caos