O Último Beijo I


As bocas ameaçavam
jamais desunir-se.
A lua,
cúmplice apaixonada,
derramava sobre eles
seu leite como uma benção.
Eram tantas palavras para serem ditas
e tantas outras para se calar...
Era o tempo chamando para ir
e o desejo querendo ficar.
Na sofreguidão daquele beijo cálido
agonizavam as últimas estrelas
e a lua já findava seu reinado.
Se o desejo fosse mais forte que a razão
a noite seria eterna,
porém nem aquele ávido amor era eterno,
a breve noite não poderia ser.
Assim como o último beijo
é eterno enquanto dura,
e se faz presente em cada despedida,
aquele seria apenas o último...
até o próximo adeus.



...volta ao Caos