Dentro dos meus olhos...


Dentro dos meus olhos
existe uma angústia
pálida e inútil.
Engulo um grito seco.
Fecho os olhos e não me entendo,
não entendo a vida,
não entendo nada.
Só sei da dor que nunca passa,
da solidão que acompanha meus passos
e segue meus caminhos.
É uma ferida viva
que jamais irá curar.
Há muitas sombras em minha volta
que brincam de sofrer.
O sofrimento é fértil.
Tem a fertilidade da dor,
do sangue que corre em minhas veias
e das linhas que escrevo às cegas.
A luz deve brilhar em algum lugar,
em alguma estrada.
Quem sabe tudo passa,
ou pelo menos a vida passe por mim.



...volta ao Caos