O Último Beijo I I


É aquele que fica,
que permanece intacto na memória.
Tão último que ainda continua
úmido em meus lábios.
Tão quente que acende
a chama da lembrança.
E a saudade arde.
É a vontade de ter novamente
aquela madrugada nos olhos.
É o desejo de ter tão ávidos beijos,
infinitos abraços,
eterno amor,
que embora se finde a cada despedida,
renasce na luz da lembrança.
E quando não há nada mais
do que se recordar,
permanece a marca...
como uma cicatriz de paixão,
como a união de todos os desejos,
como se a vida fosse acabar.
É eterno,
mesmo sendo efêmero.
É o que fica da saudade.
Um momento de amor.
O último beijo.


...volta ao Caos