Nego o que ainda...


Nego o que ainda vive dentro de mim.
Calo meu grito louco
e minha angústia me sufoca.
Preciso gritar !
Preciso arrancar do meu peito
essa mágoa negra que seca meus olhos.
Preciso dissecar meu coração e tentar achar
alguma parte que não seja tua.
Meu corpo ainda te chama
pelas madrugadas úmidas de lágrimas
e brancas de solidão.
Minhas mãos tateiam cegas
pela escuridão da minha vida,
tentando achar em outros corpos
o teu prazer.
Minha boca chama teu nome,
numa oração profunda,
num pedido clemente
para sentir teus lábios quentes
novamente sugando meu desejo.
Meus olhos,
pobres olhos,
já não conseguem ver nada,
só a imensidão de uma estrada vazia.
E meu grito morre mais uma vez
no fundo da minha garganta.
Não grito.
Tenho tantos motivos para ser feliz
e mais nenhum para viver.



...volta ao Caos