Selei meu testamento...


Selei meu testamento
com o beijo da morte.
O que deixo para os meus
é um pouco menos que nada,
algumas linhas de dor,
alguns momentos de amor,
um certo brilho pálido no olhar
que já escurecia no meu poente.
Levem de mim o que não fui.
Levem a alegria e o sorriso
que um dia perdi,
num lugar tão distante,
que não pude voltar lá para achar.
Levem a luz,
que foi se apagando aos poucos,

até se extinguir.
Esqueçam minha dor,
minhas lágrimas são tão banais,
meu sofrimento tão infértil.
Herdem meu sangue,
o calor do meu coração
que vagava pelas noites
desejando intensamente a eternidade.
Apaguem meus passos,
esqueçam minha estrada.
Não é preciso chorar,
já houve muito pranto.
Não deixo saudades.
Não deixo mais nada.



...volta ao Caos