Ruínas


Estranha realidade,
tudo inverso do que imaginei.
sou mera espectadora
de um teatro aversamente real.
A solidão devora o resto de sentimento.
O vazio é totalmente inócuo.
É triste não poder te amar.
Teço palavras,
cumpro minha sina.
Em meu sangue afogo te nome,
em minhas lágrimas apago lembranças.
No fundo de minhas entranhas
tento reerguer o que eu
havia sido antes de ti.
Talvez eu não tivesse sido nada,
ao certo não sei.
Apenas creio em mim,
nas forças que me restaram.
Não há motivo para chorar,
tudo não passou de um sonho
que o futuro não realizará.


...volta ao Caos