Gosto de pensar


Gosto de pensar,
porque pensar me poupa de viver.
Penso, sonho,
crio, imagino,
e por vezes isso me basta.
E por vezes me angustia.
Meus sonhos são nuvens etéreas
que se desmancham e evaporam
nos meus dias solitários.
No entanto são meu castelo
a segurança de não me permitir sofrer.
Afundo em minha angústia
os gritos que deveria dar.
Afogo em minha solidão
a força que deveria ter.
Meu tempo parece já ter passado.
Sinto-me fazendo parte
de um filme que já acabou.
Os dias me parecem tão longos.
As noites eternas.
Mergulho dentro de mim.
Já não me reata nada.
Como nunca restou.


...volta ao Caos