"O Marinheiro"

Reflexões sobre a vida e a morte, o real, o misterioso, o sagrado.
Peça de Fernando Pessoa, escrita em 1913, apresentada no Ruth Escobar (no ano 2000).

A Cia. T.E.I.A. de Repertório está em cartaz com o espetáculo teatral "O Marinheiro" de Fernando Pessoa, no Teatro Ruth Escobar, sal Miriam Muniz, todas as quartas e quintas às 21 horas, com as atrizes: Esther Repulho, Janaina Sui Goto e Renata Kaufman. Duração média de 1h10min. Até 30 de novembro de 2000.

A direção é do ator e diretor Wolney de Assis, que optou por encenar a peça utilizando o texto original e sem adaptações.

"O desafio na encenação foi fazer deste drama um espetáculo teatral fundamentado na leitura ritualística, o que dá para esta montagem, uma visão dinâmica da estrutura interna", diz Wolney. Pedras naturais de vários tamanhos, constituem o cenário, que juntamente com a música e a iluminação através de luzes e fogo, vão compor o clima da peça, possibilitando ao espectador a leitura dos vários símbolos que se apresentam. Desta forma, a montagem pretende proporcionar um envolvente vôo ao mundo de reflexões tão inquietantes que o poeta fez e que apresenta neste texto.

Reflexões sobre a vida e a morte, o real, o misterioso, o sagrado. "Fernando Pessoa sugeriu o caráter trágico da peça. O elemento de terror ligado ao "coro" das veladoras situa o drama "O Marinheiro" no plano da tragédia. Nietzsche, na gênese dionisíaca diz: "A tragédia é inicialmente um coro e não um drama". Este, então, não seria mais do que a encarnação apolínea das idéias e paixões dionisíacas. Através dessas considerações, extraídas em pesquisas, procuramos dar ao estilo a pontuação sugerida pelo autor", explica Wolney.

Sinopse

Na peça, ambientada sem referência de época, três donzelas, velam o cadáver de uma quarta, no interior de uma torre. Presas à realidade, têm como fuga para a liberdade o sonho e a própria morte. A aproximação do dia traz uma vontade desesperadora de "acordar" e ver que tudo não passou de um sonho... Quando fala do sonho, na peça, o autor faz referência ao seu processo de criação literária, tendo como ponto de partida a criação dos heterônimos, que acabam confundindo-se na essência do dramaturgo e, talvez, até anulando-a.

Os heterônimos estão irremediavelmente ligados entre si, como por um fio que, ao ser tocado, inevitavelmente altera-lhes as posições. Tem-se a sensação de que as personagens manifestam uma vontade de viver independentes, e questionam suas existências, sensações e suas experiências, querendo descobrir que mão, que ser, que mentalidade as criou, para poder então, solucionar uma questão comum entre os seres reais: Quem sou? Por quê? Para onde vou? - perguntas aliás, que todos nós fazemos em algum momento de nossas vidas. Fernando Pessoa, nesta peça, sugere que nos conformemos com nossas vidas, e nos deixa uma reflexão ao colocar seus personagens tão vivos como nós, e nós tão "fictícios" quanto eles.

Esther Repulho

A Cia. T.E.I.A. de Repertório - Teatro Experimental de Interpretação e Arte, teve a sua origem na Cia. Fabrica de Teatro da qual Wolney é um dos fundadores. Depois de alguns anos trabalhando com seus atores, surgiu a necessidade de criar uma equipe que desenvolvesse um trabalho baseado em pesquisas, formando assim, um repertório que abrange textos e autores, dos clássicos aos populares, com uma nova proposta para o teatro e seu público. O Teatro Ruth Escobar fica na Rua dos Ingleses, 209 - Bela Vista - Fone: (011) 289 2358 - Os ingressos a R$ 10,00 (dez reais), poderão ser retirados com 1 hora de antecedência na bilheteria do Teatro. 58 lugares.

A sede da Cia. TEIA de Repertório fica na Rua 13 de Maio, 70 sala 2, Bela Vista, São Paulo - Fone: (011) 3120 0367.

Serviço: "O Marinheiro"- de Fernando Pessoa (Drama)
Quartas e Quintas - às 21 horas
Teatro Ruth Escobar - Sala Miriam Muniz / Rua dos Ingleses, 209 - Bela Vista
Telefone do Teatro: (011) 289 2358
Elenco - Esther Repulho/ Janaina Sui Goto/ Renata Kaufman
Direção - Wolney de Assis/ Assistente - Edson Rocha
Fotos - Leonardo Delasanta
Cia TEIA - (011) 3120-0367

Assessoria de Imprensa - jornalista responsável - Esther Repulho - Mtb.: 25035 Informações Fones: (011) 6143-9932 / cel. 3324-8433


Fernando Pessoa - Obra Poética


Hospedagem de site   Créditos