A Criação da Música Eletrônica
homepage imaginarium música eletrônica

É cada vez mais freqüente que os músicos produzam sua música a partir da digitalização, amostragem (sampling) e da reordenação de sons, algumas vezes trechos inteiros, previamente obtidos do estoque das gravações existentes. A composição da música de forma eletrônica é um fractal, seguindo os seguintes princípios:

Retroalimentação: Cada música final é usada como matéria prima para composição das próximas. A gravação deixou de ser o principal fim ou referência musical. Não é mais do que o traço efêmero (destinado a ser sampleado, deformado, misturado) de um ato particular no seio de um processo coletivo.

Auto-organização: Não existe um "músico" que faz a composição inteira, mas sim uma inteligência coletiva que se alimenta do estoque musical existente, sendo que cada pessoa anonimamente participa do processo de criação das partes. Cada um é ao mesmo tempo produtor de matéria-prima, transformador, autor, intérprete e ouvinte em um circuito instável e auto-organizado de criação cooperativa.

Auto-similaridade: Cada trecho da música possui uma história de composição que segue o mesmo padrão. Cada um dos subconjuntos do processo deixa aparecer uma forma semelhante à de sua configuração global. Não existe a "música final", mas sim referências intermediárias em um fluxo contínuo em circulação na vasta rede tecno-social. Essa matéria é misturada, arranjada, transformada, depois injetada na forma de uma peça nova no fluxo de música digital em circulação.

Podemos encontrar na música tecno os princípios do movimento social da cibercultura: interconexão, comunidade virtual e inteligência coletiva.

Quem tiver interesse pode ouvir minha primeira composição eletrônica que segue estes princípios: EletRod-1.mp3 ou Tantric Code

(algumas destas idéias são de Pierre Lévy - livro "Cibercultura")

Rodrigo Siqueira - Insite
Grupo Fractarte

Rodrigo A. Siqueira